9.7.12

Entrevista com Atila Barros

Aloha galera!

Desculpem pelo atraso, mas está aqui a entrevista com Atila Barros, escalador e montanhista com grande experiência.


Atila Barros nasceu no Rio de Janeiro, e mora em Belo Horizonte-MG, cidade que adotou como sua casa. Escalador (Montanhista) há 12 anos, é apaixonado pelo esporte outdoor, fundador e mantenedor do portal Rocha e Gelo (www.montanha.bio.br).

Quando e como começou a escalar?
Pratiquei Jiu-jitsu minha vida toda, nunca fiz outros esportes. Além do Dojo, gostava de estar em contato com a natureza. Já fazem doze anos que comecei a escalar, não foi acidental. Como disse, já caminhava e gostava de estar na montanha, quando este já não era mais o bastante, procurei fazer um curso, nunca mais parei de escalar e estar na montanha, aos poucos o Jiu-jitsu ficou em segundo plano.

Você é autor de dois livros de montanha, da onde surgiu a idéia de escrevê-los?
Gosto muito de ler, e sempre gostei da pesquisa, não me vejo longe da literatura. Quando o esporte entrou em minha lista de livros foi quase que inevitável escrever sobre o assunto. Gostei muito de fazer meu primeiro livro; Badhezir, Um ilustre visitante  - Editora KOMEDI-2004, foi algo que me rendeu bons frutos, quero em breve repetir a dose, mas com outro foco, estou trabalhando a cinco anos em um projeto, vamos ver se ano que vem ele sai da gaveta. Também fiz; O código da Montanha - Editora Montanhar-2006, mas não curti o trabalho, ficou muito a desejar e ocorreram desencontros de informação, valeu pela experiência de como não fazer um livro de montanha.

Que livro você acha que todo escalador devia ler ou ter em casa?
Difícil responder esta, livro é muito pessoal, mas acho que clássicos são clássicos, creio que Os Conquistadores Do Inutil de Lionel Terray é um bom começo para entrar no mundo da literatura de montanha.

Como surgiu o rocha e gelo? Possui algum lucro ou você o mantém sozinho?
O site não tem lucro e nunca teve, sempre foi sustentado por amigos ou por quem queira ajudar a manter o site, hoje esta só comigo. O que fazemos é ajudar os amigos a divulgarem suas empresas e projetos, mantemos o espirito do inicio do site, é difícil, mas até hoje deu para fazer.

Quanto a historia do site, bom, faz tempo... Era o inicio da internet como a conhecemos, não existiam Blogs ou fotoblogs, mal tínhamos saído do BBS, éramos estudantes de T.I que gostavam de caminhar por montanhas e esportes de aventura, ai veio à idéia de montar um site com as informações do que fazíamos.

Tudo era muito artesanal, tanto a parte de programação do site quanto quem fazia parte dele, estávamos engatinhando no esporte.

No inicio nós éramos uma sopa de letrinhas que nem me recordo o endereço, mas demos o nome do grupo de “Quati”. Estávamos hospedados em um site que não me recordo o nome, depois passamos para o Zipmail e por fim o Hpg. Já no Hpg passamos a chamar quati-rj, depois montanha-rj e só no inicio do ano 2000 passamos a se chamar www.montanha.bio.br, um dos endereços que usamos até hoje (enfim tínhamos registrado um domínio!).

Em junho de 2007 um grande amigo de empresa, Kidney Moreira, teve a idéia de adotarmos um novo endereço, um que fosse mais voltado ao que realmente estávamos fazendo, foi então que nasceu o www.rochaegelo.com.br


Você já esteve em diversas montanhas pela América do sul, qual a que mais curtiu? Por quê?
Já estive em alguns picos bem massas pelo continente, amo a Patagônia (Difícil numerar os points onde escalar é melhor) e as ultimas trips de verão tenho passado em Arenales, Mendoza, não é fácil falar o mais legal, mas acho que você esta se referindo à alta montanha correto?

Se for isso, o pico que mais curti foi o Parinacota (6.348MT), este foi bem punk e feito meio que na raça, tinha acabado de chegar de uma experiência dura no Nevado Sajama (6.542 m), mal deu tempo de descansar. Você (Raman) depois de uma noite de frio se sentiu mal e tive de ir com outro parceiro. No fim tudo deu certo.

Dei um tempo dos projetos com mais de 5.000MT, já estive na febre e vivia correndo entre Bolívia e Peru, nas ultimas trips, prioridade total para escalada em rocha, mas nada impede de tentar algo este ano. Em agosto volto à Bolívia, mas para escalada em rocha, quem sabe? Já vou estar por lá mesmo (rs).


Recentemente esteve na Europa, qual lugar mais curtiu escalar? Faltou algum?
Então, nesta trip estava comigo Alexandre Trindade, deu para curtir bastante. Sobre o que faltou? Bom, faltou de tudo; faltou tempo, faltou dinheiro, juízo, mas acima de tudo dinheiro (rs). Esta temporada foi show, escalamos falésias em Lisboa, Madri e boulders em Fontainebleau. Muita chuva na Alemanha, algumas cervejas na Bélgica, outras cositas mais em Amsterdam e voltamos para Lisboa.

O que mais gostei? Oktoberfest em Munique! Acho que por isso o dinheiro acabou (rs). Fontainebleau sem dúvida foi o lugar mais alto-astral que escalei mesmo com dias chuvosos, sem desmerecer os outros, o lugar empolga.


Escalar em rocha ou alta montanha?
Nos últimos anos, rocha.

De todos os países que esteve, seja rocha ou alta montanha, qual foi o melhor?
Esta semana estive na policia federal para renovar meu passaporte, e enquanto esperava a chamada, parei para contar o numero de carimbos nas paginas já amarrotadas do documento. Já estive em mais de dezoito países, nunca tinha parado para contar (falta do que fazer). Não me lembro de ter ficado sem atividade outdoor em nenhum deles, escalando, caminhando, remando ou mergulhando, seja lá o que for, acho que nunca sai do Brasil a negócios (rs).

Quanto ao que mais gostei, olhando o passaporte o numero maior de carimbos ainda é da Bolívia, páreo duro com Argentina. Acho que ai esta a resposta (rs).

De todos os destinos que já esteve qual você acha que todos deveriam ir pelo menos uma vez? Por quê?
Minas Gerais uai?!
Por quê? “Porque Minas é o melhor que tá tenu!”

Qual beta você daria para quem quer ir escalar fora do país, o que considera importante?
Paciência, dedicação e planejamento, muito planejamento.


Da onde surgiu a idéia de desenhar o Tosco?
Então, o Tosco veio de um dia de chuva em casa, tinha acabado de acordar e estava meio chateado com o tempo em Belo Horizonte, passei a mão em uma caneca de café com burbom e comecei a rabiscar o papel, dai surgiu o tosco (rs).

Você se inspira em algum amigo(s) para desenhar o Tosco, ou seus amigos?
Hoow! Sim, têm um pouco de cada um ali, qualquer semelhança não é mera coincidência.

Obrigado pela participação!
Eu que agradeço! Grande abraço e força sempre!

É isso aí galera, por hoje é só!
Amanhã mais uma matéria da série "Escalada e Montanhismo"

Abraços e boas escaladas!