6.3.14

Federação, Confederação e Competição

Fala galera!

Semana passada circulou bastante um vídeo do Silvério Nery, presidente da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada (CBME), declarando que podem decidir por parar de pagar as taxas para a International Federation of Sport Climbing, (IFSC), e como consequência disso, o Brasil não poderá enviar atletas para competir no Mundial.

Muitas pessoas podem estar criticando esta decisão dele, mas na minha opinião de escalador e de profissional de Educação Física, ele assume uma posição coerente. Não podemos ficar vislumbrando Mundial, se não temos regularmente competições nacionais, não temos um calendário fixo de competições no Brasil.

Ao meu ver, e de acordo com o conhecimento adquirido na Educação Física, o papel desempenhado pelas Federações e pela Confederação é equivocado. 

Não vou falar de nenhuma federação em específico, nem de pessoas, mas na minha opinião, nenhuma das duas entidades (Federação e Confederação) não fazem o que deve ser feito. 
O papel de uma Federação deve ser:
  • Organizar ATLETAS;
  • Organizar um calendário de competições;
  • Preparar e organizar juízes;
  • Organizar equipes e clubes;
  • Organizar os ginásios;
Entenda-se que atletas não são praticantes, atletas visam competição, alto rendimento. Eles pensam em chegar no Mundial, e hoje as federações se preocupam em organizar os praticantes. Vamos parar e pensar: nem todos os praticantes de judô são federados, nem todos os praticantes de natação são federados, nem todos os praticantes de jiu-jitsu são federados, ou seja, para ser praticante não é preciso ser federado, a menos que se tenha intenção de competir, e nesse caso se deixa de ser um praticante, e se torna um atleta.
O papel da confederação é semelhante, ela deve:
  • Organizar as federações;
  • Definir parâmetros para treinamento de juízes;
  • Organizar calendário de competições;
  • Organizar ranking;
  • Definir parâmetros para seleção de atletas para o mundial. 
Atualmente, vejo essas entidades concentrarem seus esforços em recuperação e manejo de trilhas, trocar grampos de vias, entre outras ações que não tratam do âmbito desportivo. Para ter atletas é preciso dar oportunidade deles aparecerem, ou seja, organizando competições. 

Vejo o Brasil com muitos "open's", encontros, festivais, e outros, mas as competições não aparecem. Temos ginásios pelo Brasil todo, com capacidade de realizar competições nas diversas modalidades (Bouldering, Lead, Speed, Team Speed). 

Imaginem se a escalada se torna esporte olímpico. Não temos ATLETAS para nos representar! Precisamos, como o próprio Silvério fala no vídeo, "organizar a casa". Precisamos dar oportunidades dos praticantes que possuem condições de competir, apareçam e se tornem atletas. 

Sei que muitos não irão entender minha posição, mas é preciso mudar a postura. Se queremos que a escalada seja vista como um esporte, precisamos organizá-la como tal, se queremos que continue como lazer e diversão, devemos organizá-la, e nessa condição, não existe necessidade de se pagar uma taxa para IFSC.

Bem, resumidamente esse é meu pensamento como escalador, e profissional de Educação Física. 

Da mesma forma que expus meu pensamento, estou disposto para ouvir as ideias e construir uma conversa saudável através do e-mail, raman@rochaegelo.com.br

Abraços e boas escaladas.